Marco Anzoletti – Caprichos

Marco Anzoletti – Caprichos nºs 2 e 11, op. 125 para Viola Solo

Notas ao programa

Marco Anzoletti nasceu em Trento a 04 de Junho de 1866 numa família de músicos. Aprendeu os rudimentos da música através do seu pai, o violoncelista Luigi Anzoletti. Todos os seus tios também eram músicos: Francesco, pianista, organista e compositor; Giovanni, violinista; Giuseppe, violinista e compositor. A sua irmã Luisa, poeta e escritora colaborou, mais tarde, com ele no piano.

A estreia de Anzoletti, com 10 anos, incluiu a interpretação de obras de L. Spohr e Paganini. Estudou no Conservatório de Milão de 1879 a 1885: violino com Gerolamo de Angelis e composição com Gaetano Coronaro, tendo-se graduado com honra.

Em 1886 fez estudos de pós-graduação em Viena com J. Grün e realizou uma tournée na Áustria e em Itália, obtendo grande admiração pela sua técnica fora do vulgar. Em 1889 foi premiado com o cargo de professor de violino no Conservatório de Milão, onde preparou violinistas maravilhosos. Anzoletti estava entre os músicos italianos que procuram descobrir a música de câmara e a música sinfónica, que na época eram mal apreciadas num país maioritariamente dedicado à Opera. É interessante mencionar que J. Brahms enviou à editora FA Simrock de Berlino, 24 Variazioni para violino e piano (1893-94) que Anzoletti tinha escrito sobre um tema de Brahms. Marco Anzoletti foi um compositor prolífico, que escreveu música para violino, órgão, música de câmara, música a solo com orquestra e obras orquestrais com coro.

Também escreveu com objetivos pedagógicos 12 Studi per la viola (Milano, Ricordi, 1919), Il repertorio del piccolo violinista (doze peças curtas para violino e piano) e Moto perpetuo sopra movimenti di escala, ambos publicados pela Ricordi de Milão em 1920. Anzoletti morreu em sua casa em Mesiano di Povo (Trento) em 23 de Janeiro de 1929.

Augusto Vismara