Candido Lima – Sonata

Cândido Lima – Sonata sobre temas medievais para viola de arco e piano (1969/2011)

Notas ao programa

Esta obra enquadra-se num tempo em que a absorção de todos os estilos e fontes era uma atitude descomprometida do autor, independentemente dos seus contactos com outras expressões modernas pós-neoclássicas da música contemporânea.

A forma-tipo da sonata clássica beethoveniana bi-temática é intencionalmente respeitada, sem seguir o edifício tonal das relações hierárquicas das funções dos acordes. O pensamento é outro, as misturas de harmonias e de estruturas intervalares de proveniência diversa seriam incompatíveis com os princípios do sistema tonal. As fontes temáticas provêm de três motivos ou frases do canto gregoriano do Liber Usualis, e essas sonoridades e modos antigos fundem-se na obra com cromatismo e com sobreposições politonais, numa intenção de conciliação do fascinante melodismo medieval com o encantamento das combinações harmónicas de uma das primeiras modernidades pós-tonais do séc.XX, na esteira de Stravinsky, Ravel, Debussy, Bartók, Prokofief ou Darius Milhaud.

Escrita para violoncelo e piano, em 1969, em poucas semanas, a obra renasce nesta versão para viola de arco, realizada em 2011 para o intérprete Lourenço Sampaio, a quem é dedicada.

 Cândido Lima